Saúde de Três Lagoas divulga novo Boletim Epidemiológico

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde e Saneamento, divulgou o 21° Boletim Epidemiológico de 2018, na quinta-feira (22).

Trata-se do monitoramento dos casos de Dengue, Leishmaniose, Chikungunya, Vírus Zika e outras doenças de notificação compulsória, correspondentes à 46ª semana epidemiológica de 2018, que se encerrou na sexta-feira (17).

No mesmo Boletim Epidemiológico, constam os relatórios dos casos notificados suspeitos de cada doença, os casos confirmados e os casos descartados, depois de concluídos os exames laboratoriais, na sua maioria feitos no Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul (LACEN/MS), em Campo Grande. No que se refere à Dengue, o Boletim Epidemiológico informa que, no acumulado de 2018, até 17 de novembro, haviam sido notificados suspeitos 1.399 casos. Desse total, 339 foram confirmados como casos positivos e 857 descartados como negativos. Do total de casos notificados, 203 ainda aguardam resultado de exames laboratoriais. No acumulado de 2017, foram 618 casos notificados suspeitos, 31 positivos e 587 casos negativos. Em 2016, houve 1.455 casos notificados suspeitos, 948 positivos e 507 descartados.

No monitoramento dos casos de Leishmaniose visceral na área de abrangência do município de Três Lagoas, como consta no referido Boletim Epidemiológico, até à 46ª semana, são 182 casos notificados suspeitos, cinco casos confirmados e 176 já descartados. Em 2017, houve 131 casos notificados, 15 confirmados e 116 descartados. Já em 2016, foram noticiados suspeitos 117 casos, 12 confirmados como positivos e 105 negativos. No registro de casos da Febre Chikungunya, como divulgamos recentemente, o ultimo Boletim Epidemiológico informa que o acumulado do ano registrou 55 casos notificados suspeitos e houve, até agora, a confirmação de 6 casos positivos da doença, que afeta, principalmente, as articulações, prejudicando a locomoção dos pacientes e até a sua capacidade laboral. No ano de 2017, houve registro de 17 casos notificados como suspeitos de Chikungunya, mas todos eles foram descartados como negativos. Já em 2016, foram notificados 13 casos, confirmado um caso e 12 foram descartados como negativos.

Fonte: Expressão MS