Três Lagoas fica atrás de Campo Grande, em trabalho formal

Segundo dados divulgados na sexta-feira (17), no mês de fevereiro, todos os grandes setores da economia de Mato Grosso do Sul tiveram saldo positivo de geração de empregos. O destaque, de acordo com os dados da Carta de Conjuntura do Mercado de Trabalho de Fevereiro foi para os setores de Serviços (929 empregos a mais), Agropecuária (863 empregos a mais), Indústria (282 empregos a mais), Comércio (265 empregos a mais) e Construção Civil (178 empregos a mais). No total, o saldo do Estado foi de 2.517 novos postos de trabalho formais.

Com relação à questão regional, Campo Grande apresenta recuperação dos empregos em 2017, diferente do comportamento apresentado durante 2016, com ampliação de vagas com saldo acumulado de 775 novos postos de trabalho formal, seguida de Três Lagoas com 506 vagas de emprego formal; São Gabriel do Oeste (374); Caarapó (192); Itaquirai (180); Nova Andradina (168); Ponta Porã (163); Rio Brilhante (149); Chapadão do Sul (146); Aparecida do Taboado (128).

"Há uma tendência de recuperação da economia na forma de criação de novos empregos formais em todos os grandes setores de atividade para este mês de fevereiro, inclusive para setores como Comércio e Serviços que vinham apresentando resultados negativos", comentou o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

De acordo com o secretário, o saldo positivo de emprego dos setores de Serviços e Comércio ocorre em um momento de grande procura pelo financiamento de capital de giro do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). "É um quadro positivo dos setores de comércio e serviços que acompanha a demanda que estamos recebendo nas contratações de capital de giro junto ao FCO. Esse é um recurso que o empresário tem buscado para pagar várias despesas administrativas, como a folha de pagamento. Coincide também com o movimento de crescimento nas vendas do comércio", afirma Jaime Verruck.

A recuperação do setor Industrial é outro destaque para recuperação do setor que apresenta agora resultados positivos nos últimos doze meses tanto para a Construção Civil como para a Indústria de Transformação. Os subsetores que mais contrataram foram: Indústria alimentos e bebidas (70 vagas a mais), Indústria têxtil e vestuário (70 vagas a mais), Indústria de calçados (57 vagas a mais) e Química de produtos farmacêuticos (49 vagas a mais). No acumulado de Janeiro a Fevereiro, apenas a Indústria Metalúrgica e de Madeira e Mobiliário apresentaram queda no emprego formal os demais seguem com a tendência de crescimento com ampliação das vagas.

Fonte: Expressão MS , Março de 2017

Seja o primeiro a comentar!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.