Fibria se aproxima da conclusão da montagem do digestor da sua segunda linha

O digestor do Projeto Horizonte 2, construção da segunda linha de produção da Fibria em Três Lagoas (MS), se aproxima da conclusão da montagem. O total de seis módulos já foram posicionados, ou seja, içados formando uma torre, assim como na imagem. Os módulos são compostos por chapas soldadas, tubulação e plataformas de acesso. As peças são pré-montadas, o que confere agilidade ao processo de içamento e montagem. Os próximos passos que serão executados no equipamento consistem na montagem elétrica e de instrumentação (controle de processos), e isolamento térmico. Após essas etapas, o digestor já estará liberado para testes.

Digestor: uma das peças mais importantes do processo de produção de celulose

O equipamento pode ser comparado a uma "panela de pressão com a função de cozinhar a celulose". No processo de produção da celulose, as toras de eucalipto são picadas e viram cavacos. Os cavacos são transportados por esteiras até o digestor, onde se inicia o seu cozimento, que vai transformar os pedaços de madeira em uma polpa. O digestor da segunda linha de produção da Fibria em Três Lagoas (MS) possui tecnologias que o destacam como um dos mais avançados do mundo em termos de cozimento de madeira.

Você Sabia?

O digestor do Projeto Horizonte 2 também é um dos maiores do mundo, que será essencial para Fibria produzir 1,95 milhões de toneladas por ano na sua segunda linha em Três Lagoas. Suas dimensões de 75 metros de altura, e 800 toneladas podem ser comparadas ao "Tatuzão", uma das maiores máquinas do mundo que constroem túneis, inclusive os da Vila Mariana em São Paulo (SP).

Fonte: Expressão MS, Abril de 2017

Seja o primeiro a comentar!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.