Receita de estrogonofe de carne imbatível é fácil de preparar

Sabe aquelas coisas que existem na sua vida desde que você se conhece por gente? Aquilo que você não sabe muito bem como ou quando começou, mas por ser tão presente fica naquele lugarzinho especial da lembrança afetiva? Pois esta receita de estrogonofe de carne (imbatível, diga-se de passagem) é uma dessas coisas.

O responsável pelo prato, e pelo carinho que tenho, é meu pai. Inclusive, muito do meu interesse pela gastronomia e pelas panelas eu devo a ele. Já falei aqui das nossas divertidas e deliciosas cozinhas experimentais, que começaram na minha infância e duram até hoje (que sorte a minha!).

Ele conta que aprendeu a receita com a vovó Dadá (sim, a mesma do pudim sem furinhos) e que quando era novinho o prato era considerado sofisticado. Talvez pela dificuldade de encontrar alguns ingredientes, como o champignon. Na casa deles só se via estrogonofe uma vez por mês, e olhe lá.

Desde então, o prato foi perdendo o requinte, mas não o sabor. Hoje é uma receita de dia a dia, com gosto de comida caseira e sensação de colo de pai, pelo menos no meu caso. Ele, por sinal, fez questão de pesquisar a origem da receita. Descobriu que o prato veio da Rússia do início do século 20. Originalmente já era bem parecido com a atual. Desde o começo contou com ingredientes como mostarda, cogumelos e creme azedo (algo que se aproxima ao creme de leite). Pouco tempo depois, já entraram a cebola, o extrato de tomate e a batata palha como acompanhamento.

Apesar do interesse do meu pai, sinceramente eu não me importo muito com a história do estrogonofe. Mas sim com o que esta receita, a receita dele, significa pra mim. E não é só porque é do meu pai, não. Eu garanto: vale à pena experimentar!

Rendimento: 6 pessoas